Pastorais

Em tudo dai graças

05/04/2020

“Em tudo dai graças, pois esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”. (1Ts 5.18)

 

Este é um conselho de Paulo aprendido a duras penas. Não se trata de um hábito ou de algo que nasceu em seu coração da noite para o dia. Ao escrever aos filipenses ele disse: “Eu aprendi a viver contente em toda e qualquer situação...”.


Paulo diz que aprendeu! E aprendizagem nasce em nossas vidas e corações com o tempo, na medida em que vamos crescendo e adquirindo experiências, revelações, etc. E eu acredito que este seja um bom momento para aprendermos e exercitarmos este conselho do apóstolo: “Em tudo dai graças...”.


Aliás, este não foi um conselho somente de Paulo. No Antigo Testamento, encontramos o profeta Jeremias falando a mesma coisa em outras palavras: “quero trazer à memória o que pode me dar esperança”. Então, vamos tentar entender o que Paulo busca nos ensinar:

 

1- Aprender a dar graças em tudo é um exercício mental, emocional e espiritual.
Tudo acontece em nosso interior e direciona-se para fora, em direção às pessoas e a Deus. Significa aprender a perceber e entender todas as coisas de formas diferentes. Cada pessoa tem uma visão e um entendimento diferentes em uma mesma situação. Paulo nos motiva a percebermos todas as coisas como desafios para o nosso crescimento e para ajudarmos no crescimento dos outros. Ele nos ensina que tudo coopera para o bem de quem ama a Deus e que todos nós somos cooperadores de Cristo, parceiros e elementos de auxílio no mesmo corpo chamado igreja.

 

Diante dos desafios, dificuldades e sofrimentos que a dinâmica da vida nos impõe, nós podemos fazer dua coisas: sentar e chorar; encher os céus de lamentações. Isto é o que a maioria das pessoas fazem. Ou ver tudo como uma grande oportunidade de crescer e fazer outros crescerem. Jesus transformou a Cruz, símbolo de maldição em instrumento de salvação. Paulo e Jeremias fizeram a opção de mostrar para as pessoas que encarar as situações de formas diferentes e com confiança em Deus é melhor do que sentar e chorar. Paulo aprendeu a viver contente e em tudo dar graças e Jeremias aprendeu a trazer à memória o que lhe dava esperança. Os problemas, a dor, o sofrimento continuaram para os dois, mas ambos os viam agora de formas diferentes. São nos conflitos e nas crises que nossos neurônios criam novas e mais fortes conexões. É quando amadurecemos e conhecemos as verdades que libertam.


2- Aprender a viver contente em toda e qualquer situação, não significa acomodar-se e aceitar a situação.
Tem muita gente equivocada nesse sentido! Quando Paulo disse que tudo coopera para o bem de quem ama a Deus e que ele aprendeu a viver contente em toda e qualquer situação, Ele não estava o motivando a cruzar os braços e aceitar a situação, a crise, a dor ou o sofrimento. Pelo contrário, ele estava o motivando a encará-los de forma diferente, como oportunidades de experimentar a graça e o poder de Deus.

 

Quando percebemos as situações de forma diferente como Paulo e Jeremias nos motivam, enfrentamos os desafios e descobrimos que em Cristo somos mais que vencedores. E, através da nossa experiência com Deus, somos edificados e edificamos a vida de outros através da nossa experiência/testemunho de fé.

 

Que Deus te abençoe em todos os momentos.
Pr. Genildison da Silva Ribeiro.

Please reload