Pastorais

Encorajando as pessoas que sofrem

24/11/2019

(I Pe 1. 6-9)

 

Por que o crente sofre? Pedro responde que o crente sofre para que a sua fé seja provada e o seu caráter aperfeiçoado. Ele usa o termo “provações” em lugar de “tribulações” ou “perseguições”, pois trata dos problemas gerais que enfrentamos.

 

Pedro nos ensina quatro lições importantes:

1. As provações são variadas: A expressão “várias provações” significa “todo tipo de provações”. Provações com pessoas, com acontecimentos imprevistos, com doenças e com tentações espirituais. Várias são as lutas. Há um provérbio chinês que diz: “O diamante não pode ser polido sem fricção, nem o homem pode se aperfeiçoar sem o sofrimento”.

 

2. As provações são passageiras: As provações são presentes e passageiras: “no presente, por breve tempo”. Elas fazem parte da vida cristã. Enquanto estivermos aqui, seremos provados (At 14. 22). Assim: o cristão está entrando em provação; em meio à provação; ou saindo da provação para entrar nela novamente.

 

3. As provações são necessárias: As provações são necessárias: “se necessário”. Deus é quem sabe e quem define quais as provações precisamos enfrentar (1Co 10.13). E elas são necessárias para o nosso aperfeiçoamento espiritual (Tg1.2-4).

 

4. As provações são pedagógicas: Uma fé que não pode ser testada não é confiável. Deus usa as provações para moldar o nosso caráter cristão e nos preparar para a glória futura.

 

Pedro apresenta quatro objetivos de Deus com as provações:

- Ele usa a provação para testar a autenticidade da nossa fé (v. 7). Através do fogo da provação, a nossa fé se revela mais valiosa que o ouro. E esta fé testada e valiosa resulta em louvor e adoração a Deus ( At 16.25);

 

- Ele usa a provação para aumentar o nosso amor por Jesus (v.8). E o verdadeiro amor é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, principalmente quando estamos em tribulação (Rm 5.5);

 

- Ele usa a provação para que confiemos mais em Cristo (v.8). O crente vive pela fé, que é fundamentada no invisível (2Co 5.7);

 

- Ele usa a provação para produzir alegria no nosso coração. A alegria inexprimível e gloriosa de Deus é uma dádiva que recebemos de Deus (Rm 15.13). E a razão desta alegria é que, já nesta vida, obtemos o objetivo da nossa fé: a nossa salvação por intermédio de Jesus Cristo (v. 8-9). Hoje, pela fé, já estamos salvos e nada nem ninguém poderá roubar a nossa alegria.

 

Pr. Genildison da Silva Ribeiro

Please reload