Pastorais

Largando o lençol

20/10/2019

Seguia-o um jovem, coberto unicamente com um lençol, e lançaram-lhe a mão. Mas ele, largando o lençol, fugiu desnudo. (Marcos 14.51-52)

 

Muitas vezes eu tenho escutado pessoas falarem que “se pudessem, jogariam tudo para o alto e sairiam correndo sem olhar para trás”. Mas a grande maioria das pessoas que falaram isso para mim, continuaram e foram adiante e venceram os desafios daquele momento desesperador.


Mas, quando eu olho para esse texto bíblico, eu encontro um jovem que jogou tudo para alto e saiu correndo. Não sabemos muito sobre a sua identidade. O pouco que o texto nos permite saber é que ele era um seguidor de Jesus e que, como os
demais discípulos, não aguentou a pressão da perseguição e do confronto e acabou fugindo.


O texto de Marcos ainda relata que ele estava coberto unicamente com um lençol. O termo grego para lençol é (σινδων - sindon). Este termo vai aparecer mais uma única vez no Evangelho de Marcos, no episódio do sepultamento de Jesus: “Após certificar-se, pela informação do comandante, cedeu o corpo a José. Este, baixando o corpo da cruz, envolveu-o em um lençol (σινδων) que comprara e o depositou em um túmulo que tinha sido aberto numa rocha; e rolou uma pedra para a entrada do túmulo” (Mc 15. 45-46).


Nada mais poderia ser tão representativo. A nossa vergonha, nossa nudez e as nossas atitudes de fuga estavam ali, envolvendo o corpo surrado de Jesus, sendo sepultadas juntamente com Ele de forma definitiva. O escritor bíblico coloca no “lençol”, o símbolo das vezes que falhamos com Jesus; o símbolo das vezes que não nos comprometemos em dar testemunho como veste sepulcral. Alguns historiadores dizem que esse jovem era o Evangelista Marcos – autor desse Evangelho.

 

Hoje, em Cristo, todos nós temos a oportunidade de abandonarmos o “lençol da iniquidade e da vergonha”, e de nos revestirmos
com novas vestes, santas e purificadas pelo seu sacrifício.

 

Minha oração em seu favor neste dia é que você pare de fugir. Oro para que você não desista. Mas, se já jogou tudo para o alto, se fracassou, lembre-se que toda vergonha já caiu sobre Jesus. Ele, tão somente Ele, levou o peso de nossa iniquidade. Por isso é possível seguir adiante. É possível, como Marcos, retornar, independente de quantas vezes você saiu correndo envergonhado/a.
As nossas falhas e vergonhas já foram sepultadas com Jesus. Cabe, a cada pessoa, escolher viver a dignidade da vida que a ressurreição de Jesus proporciona.

 

Deus abençoe a todos (as).
Pr. Genildison da Silva Ribeiro.

Please reload