Pastorais

Quando Orar não Vale Nada

29/07/2018

A oração é uma prática fundamental na vida cristã. Deus, em sua Palavra, conclama seu povo a orar sem cessar (1Ts 5. 17). A oração é a forma de se falar com Deus e deve ser usada para adoração, intercessão, petição, gratidão e confissão de pecados.

 

A Bíblia diz que o cristão deve ser perseverante na oração, orar por todos (as), pela igreja, pelos salvos, pelos que ainda não conhecem a Cristo, pelas autoridades e até pelos inimigos. No sermão do monte: Mateus Caps. 5-7, um dos ensinos expostos por Jesus a seus discípulos foi sobre a oração. Ele disse como não se deve orar, ou, em outras palavras: quando “orar não vale nada” diante de Deus.


Ele mostrou aos seus discípulos e a todos nós hoje, que Deus atenta para o homem em sua totalidade, não apenas para as suas palavras ou para sua aparência diante dos homens. O Deus Santo, Onisciente e Onipresente conhece perfeitamente a hipocrisia, a vaidade, a arrogância, as ações mascaradas de santidade e também as intenções dos corações dos homens. Em Mateus cap. 6: vemos que Jesus chamou os seus discípulos a serem santos e separados da maldade: “não sejais como os hipócritas” (v.5) que buscavam honras para si mesmos (v.1), tocavam trombetas quando faziam algo de bom (v.2), ou até mesmo quando oravam (v.5). Jesus condena essa prática, mostrando que suas obras e as suas orações não adoravam a Deus e, portanto, não valiam nada, pois eles só desejavam serem vistos pelos homens (v.5). Usavam de “vãs repetições” nas orações (v.7), desfiguravam o rosto quando jejuavam (v.16) e não viviam o evangelho com integridade. Ou seja, não eram coerentes em relação ao que falavam e o que praticavam.

 

Jesus diz, em outras palavras, que esse tipo de devoção hipócrita (de discursos vazios de práticas, de orações sem consagração), é digno de condenação: “não vos assemelheis, pois, a eles” (v.8). Assim, fica claro que, sem humildade, a oração não vale nada. Outro ponto importante que é requerido por Deus a todo aquele que o busca em oração e andar no Espírito (Gl 5. 16), que significa ser guiado pelo Espírito Santo de Deus (Rm 8. 14). Ao ser guiado por Deus, o homem tem seu coração dominado pelo amor de Deus e não buscará o seu próprio interesse (1Co 13. 5), mas se sujeitará ao Senhor. Sem humildade e sujeição a Deus com disposição para ser conduzido e transformado por Ele, realmente não vale a pena orar.

 

Assim, Deus deixa de atender àquele (a) que ora com o coração orgulhoso, teimoso e inflexível. A dureza de coração estabelece uma separação entre o que ora e Deus. Quem tem, por si mesmo, as respostas para sua vida e se acha suficiente, não precisa orar, pois não estará pronto a ouvir a voz de Deus.

 

Que Deus nos ensine a orar, a nos humilhar, a ouvir a voz d’Ele, a viver para Ele e sendo assim transformados e perdoados para Sua glória. Amém!

 

Pr. Genildison da Silva Ribeiro.

Please reload