Pastorais

Saúde, amém!

26/08/2018

Minha esposa quando dá um espirro e não digo o tradicional „saúde‟, invoca para si mesma a prerrogativa e diz: Saúde, amém,
perto de mim não tem ninguém. Penso que essa é a atitude correta para lidar com o que aflige a cada um/a e, principalmente, com a saúde emocional – a responsabilidade de cuidar de si mesmo/a.


Em Provérbios 4, o autor fala de uma proposta de cuidado com a vida, e no verso 23 afirma “Sobre tudo o que se deve guardar,
guarda o TEU coração, porque dele procedem as fontes da vida”. Temos muita informação a tirar nesse pequeno trecho, mas
meu destaque hoje é que o autor nos esclarece responder pela nossa situação. Ele, em todo o capítulo, faz afirmações de sabedoria e de inteligência e de como lidar seriamente com situações que nos colocam em perigo, dando orientações para o bem viver. Devemos usar de sabedoria para isso, de inteligência para aquilo, ouvir o pai, não cair em armadilhas, etc e etc...


Porém, o maior trabalho de todo esse ensinamento é o de “guardar o coração”, tarefa que envolve lutar com as decisões e pesar os prós e os contras, do querer e não poder ou a antítese disso. É ter que lidar com orientações contrárias, publicidades maldosas, opressões sociais e tudo o que nos é oferecido a cada situação e equalizar tudo isso com suas ideias e possibilidades. Sim, com certeza, não é à toa que as doenças que mais crescem são as psíquicas de ordem emocional.


Contudo, já faz milênios que essas orientações estão presentes na caminhada do povo de Deus. Para ter sucesso em nossa vida e
ter uma saúde emocional equilibrada é preciso entender que as emoções precisam ser levadas a sério. Não somos nem de longe esses seres controlados pela razão para podermos controlar nossa vida pela lógica. Ainda tem uma condição muito extremada nessa orientação, a de que somos nós que devemos nos responsabilizar por esse ato – “guarda o TEU coração”. Temos entregado essa responsabilidade a médicos, cônjuges e a tantas pessoas, que achamos que a responsabilidade não é nossa. Contudo, essa não é a visão bíblica, pois ela nos empurra para a responsabilidade e consequências, e nos orienta que uma tarefa tão importante como essa não poderá ser delegada a mais ninguém.


Nestes dias difíceis, em que estamos sendo cada vez mais bombardeados pelas circunstâncias da modernidade, devemos dar
ouvidos a essa orientação e buscar a prudência e a saúde emocional, guardando nossos corações.

 

Fiquem bem na graça de Deus!


Pr. Fabio Marchiori.

Please reload