Pastorais

Que Diremos Pois, à Vista Destas Coisas?

04/04/2021

Que Diremos Pois, à Vista Destas Coisas? (Rm 8.31-39)

Estas são palavras do apóstolo Paulo diante das dificuldades e dos sofrimentos enfrentados pelo povo, especialmente a igreja a quem ele tanto ama. E que, diante dos desafios têm muitas perguntas. Neste pequeno texto: Paulo abrange dois temas extremamente importantes para todos nós.

 

O primeiro deles nos fala sobre o futuro: aquele que rege nosso destino final. Paulo fala sobre do juízo de Deus. E, ao discorrer sobre este tema ele vai dizer: Cristo anulou completamente toda acusação contra nós!

 

Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós.

 

Paulo afirma que Cristo morreu em nosso lugar pagando assim a dívida que pesava contra nós. E, na visão de Paulo, Cristo vai além. Ele ainda continua intercedendo por nós, como aquele advogado que incansavelmente está diante do Juiz lembrando-o do cumprimento da sentença favorável àquele(a) que depositou sua confiança nele. Segundo Paulo, nosso futuro está garantido em Cristo, portanto não precisamos temer o futuro.

 

O Segundo tema tratado por Paulo diz respeito ao nosso presente, ou às incertezas que as circunstâncias nos trazem: Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro.

 

Paulo nos desafia, pelo olhos da fé em Cristo, a sermos capazes de olhar sempre além – o futuro está garantido (não há mais acusação contra os escolhidos de Deus) e o presente não e algo indiferente à graça e ao amor de Deus (nada pode nos separar do amor de Deus).

 

Paulo vai afirmar que tanto nos eventos relacionadas ao futuro como nos eventos relacionados ao presente – em todas estas coisas somos mais que vencedores. E somos vencedores não por causa de nossas capacidades ou condições, pois ambas são limitadas. Somos mais que vencedores porque Ele (Deus) nos ama.

 

Que o amor de Deus seja sempre derramado em cada um dos nossos corações através da graça de Deus que se renova todos os dias. Lembre-se sempre: se vivemos, somos de Cristo, se morremos, somos de Cristo. Porque nossa vida está escondida Nele. A Ele seja toda a glória.

 

Deus abençoe a todos (as).

Pr. Genildison da Silva Ribeiro