Pastorais

Principais Artifícios da Tentação

02/05/2021

Tg 1. 12-15 e Lc 4. 1-13 - “Pelo contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz...”

A tentação é uma das principais armas do inferno para desviar o crente do caminha da salvação e manter o incrédulo aprisionado na vaidade dos seus próprios desejos.É importante frisarmos que o desejo/cobiça sempre existiu em todos nós. Segundo Tiago, nós somos tentados pela própria cobiça. É ela que o inferno usará para nos fazer cair.

 

Quando olhamos para a tentação de Jesus em Lc 4. 1-13, percebemos as áreas ou os artifícios que o diabo usa para nos fazer cair. Ele vai utilizar 03 artifícios e cada um deles tem a sua especificidade. A tentação tem sempre a função de gerar dúvidas em nós em relação à Palavra de Deus. No cap. 3 verso 22 Jesus recebeu uma Palavra de Deus: “Este é o meu Filho amado em quem me comprazo”. Ou seja, independente de qualquer coisa, Jesus já era o filho amado de Deus em quem o próprio Deus se compraz! A toda a tentação vai buscar gerar dúvida em relação a esta Palavra que Jesus recebeu. Antes das tentações, o diabo sempre lança a afirmação: “Se tu és o filho de Deus...”. Se Jesus cedesse à tentação, a dúvida seria instaurada e todo o projeto de Deus estaria perdido!

 

O primeiro artifício da tentação gira em torno do desejo de satisfazer uma necessidade imediata – Jesus teve fome – o diabo lhe diz: “se tu és o filho de Deus, manda estas pedras virarem pão”. Ao que Jesus responde: “nem só de pão viverá o homem, mas de toda a Palavra que procede da boca de Deus. A questão aqui não ser capaz de transformar pedra em pão. Mas sim se Jesus acreditava no que Deus já havia dito: “Tu és o meu folho amado em quem me comprazo”. Estar firma na Palavra é fundamental, especialmente quando somos tentados por nossos desejos imediatos.

 

O Segundo artifício da tentação gira em torno do desejo do sucesso ou se dar bem rapidamente. “Te darei a glória do mundo se prostrado me adorares”. Quantas vidas são enganadas pela ilusão do dinheiro e da riqueza fácil. O Cristianismo não existe para satisfazer nossos desejos, ele existe para nos ensinar a viver sob os padrões da vontade de Deus. “Está escrito somente ao senhor adorarás”. A verdadeira riqueza e sucesso é acumulado diante de Deus. A riqueza e a glória do mundo são consumidas pela traça e pela ferrugem e são facilmente roubados. E quem busca a glória do mundo nunca se satisfará, tornando-se um escravo dela!

 

O terceiro artifício da tentação é o desejo de manipular as escrituras para benefício próprio. A Bíblia não é uma caixinha de promessas. Ela é um manual de vida com Deus. Desejar manipular promessas é tentar a Deus e Deus não se agrada desse tipo de crente. Esta é a pior e a mais forte das tentações, pois transmite para o crente incauto a ilusão de que Deus está preso aos nossos desejos e se torna nosso serviçal simplesmente pelo fato de citarmos uma promessa Dele, fora do contexto de sua vontade.

 

Que Deus nos abençoe a todos (as).

Pr. Genildison da Silva Ribeiro