Pastorais

Renúncia: preparação para a Páscoa!

21/02/2021

“O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia. Depois Jesus disse a todos: Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, esse a salvará. Com efeito, de que adianta a um homem ganhar o mundo inteiro, se perde e se destrói a si mesmo?” (Lucas 9.22-25)

Esse texto foi proferido por Jesus depois que Ele afirmou que iria sofrer, ser rejeitado, crucificado, morto e ressuscitaria. Com essa afirmação, Ele nos fez entender que, se Ele sofreu e foi rejeitado, o caminho seria difícil para todos. Portanto, Ele espera o sacrifício da caminhada daqueles e daquelas que o querem seguir.

 

Quero atentar nessa reflexão principalmente sobre a última frase do verso que diz: “[...] de que adianta a um homem ganhar o mundo inteiro, se se perde e se destrói a si mesmo?”. A ênfase de Jesus é jogar com a responsabilidade de cada um sobre a decisão de se destruir e se envolver com a conquista de ganhar o mundo. Ele não está contra as buscas das conquistas diárias, o trabalho, a luta da vida e a vivência normal de nossas caminhadas, mas sim quando achamos que devemos viver para isso, destruir relações e colocar a conquista em cima da vida e das pessoas.

 

Ser cristão passa pela renúncia, passa pela dor de ter que aceitar o que não podemos mudar a qualquer custo, não nos colocarmos acima de outros e não cometermos injustiça. Negamos a nós mesmos e ai daqueles que precisam ser constantemente repreendidos e não enxergam a trave entalada no olhar de soberba e ganância.

 

A salvação passa por Cristo e não pelo mercado, não se ganha a salvação como se fosse um prêmio de melhor vendedor. Jesus não é um coach moderno que impulsiona você a ser o melhor desse mundo, a conquistar as posições elevadas e não olhar para ninguém que está nessa competição. Ele afirma que quem quiser segui-lo deve seguir as regras do reino de Deus, aquelas regras que nos afrontam a mudar nossas atitudes de ganhar o mundo como se fôssemos eternos nessa terra.

 

A boa notícia é que para os que seguem o caminho, a salvação é garantida, não só na ressurreição, mas na caminhada com o Cristo.

 

É tempo de renúncia — prepare-se para a Páscoa!


A paz a todos e todas!
Rev. Fabio Marchiori.