Pastorais

Não se auto engane

12/09/2021

Você já deve ter ouvido falar de pessoas que já foram enganadas, ou, já pode ter experienciado um evento assim em sua vida... acreditar em mentiras, e distorções da realidade por um benefício pessoal, ou para se sentir mais confortável diante de alguma situação incômoda, ou até mesmo, para uma solução aparente de um conflito. Você já ouviu falar de alguém que foi iludido? Mas, você já parou para pensar que o engano é uma das propriedades mais marcantes do coração caído do ser humano? Aquele alerta emblemático do Profeta Jeremias nos faz cônscios dessa realidade: “enganoso é o coração, mais do que todas as coisas. E desesperadamente corrupto. Quem o conhecerá?’’ (Jr 17.9).

 

Mas, acredite! A pior experiência de engano e ilusão é quando caímos nós mesmos em nossas próprias armadilhas para fugirmos da realidade que nos incomoda, e naturalizamos uma mentira como um escape da realidade. A pior experiência de engano é o autoengano. Não somente é a pior experiência, como a mais perigosa! O autoengano é o exercício dessa capacidade que o coração humano caído tem de mentir para si mesmo, de criar realidades ilusórias, de fugir das verdades que o incomoda.

 

Na prática, se manifesta em coisas simples, tais como adiantar o relógio em cinco minutos, ou, comer o que é mais gostoso do que o que é saudável, ou cuidar mais da aparência do que do coração, fazer a própria vontade deixando de lado a vontade de Deus etc. ou seja, facilmente nos enganamos, ou enganamos a nós mesmos.

 

A Bíblia nos faz vários alertas quanto a esses perigos. Ela nos alerta por meio de suas diretrizes e experiências dos antigos a não dizermos “paz, paz, quando não há paz” (Jr 8.11), a não “chamarmos o mal por bem” (Is 5.20); ela nos diz claramente para não nos enganarmos quanto as más companhias porque essas corrompem os bons costumes. E, progressivamente, encontramos o alerta “não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará....” (Gl 6.7), concordando com o alerta feito por Tiago “Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganandovos a vós mesmos” (Tg1.22). Mas, o alerta mais negligenciado, e igualmente importante, é que não nos enganemos quanto a nossa natureza!

 

Claramente, a Bíblia ensina sobre a realidade da natureza humana: fomos criados à imagem e semelhança de Deus, o que empresta ao ser humano a sua dignidade (Gn 1.26,27). Ainda sobre a realidade da natureza humana, a Bíblia ainda ensina que a natureza humana é caída, totalmente corrompida em suas faculdades. A Bíblia nos alerta a não nos iludirmos quanto a esta realidade, a realidade da nossa corrupção. Não se enganem: somos pecadores! “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós” (1 Jo 1.8). Por conta disso, todos os dias necessitamos da graça e da misericórdia de Deus em nossas vidas, e de uma comunhão constante com o Senhor e Sua Palavra.

 

Que Deus abençoe a todos (as).

Pr. Genildison da Silva Ribeiro